Eduardo Amorim depende da motivação do grupo para ir para o 2º turno; ainda não tem

Todas as pesquisas de intenção de voto registradas na Justiça Eleitoral, divulgadas pela imprensa, mostram que, se a eleição em Sergipe, para governador, já tivesse sido realizada, o 2º turno seria disputado entre os Valadares (PSB) e Eduardo Amorim (PSDB).

Isso não quer dizer que os demais pre-candidatos não tenham chance de chegar lá.

Pesquisa, quando bem feita, é a fotografia do momento em que é realizada.

Os Valadares, seja pai ou o filho, padecem da falta de grupo maior para botar o bloco na rua, mas oferecem, dizem políticos de partidos ligados ao governo, ouvidos por NE Notícias, menores dificuldades para candidatos proporcionais, devido a uma possível menor disputa.

Quanto ao senador Eduardo Amorim (PSDB), provável candidato a governador, depende da motivação do grupo, o que ainda não tem, para deslanchar.

As pesquisas mostraram que ele foi governador por largo tempo, antes das urnas de 2014.

O grupo é grande, mas quase todo liderado pelo deputado federal André Moura (PSC), que disputará o Senado.

Por maiores que sejam as insistências de André, estamos diante de uma eleição muito diferente de todas as outras, de raríssimos casamentos por inteiro.

A fotografia da realidade atual foi tirada recentemente em Lagarto.

No ato de lançamento da pré-candidatura de Ibrahim (PSC), filho do prefeito Valmir Monteiro (PSC), participaram o deputado estadual Gustinho Ribeiro (Solidariedade), o presidente estadual do PT, Rogério Carvalho, e André Moura.

Por: NE Noticias