Familiares e amigos prestam homenagens a capitão da PM

Familiares, amigos e colegas de farda prestaram na tarde desta quinta-feira, 5, homenagens ao capitão da PM, Manoel Oliveira, comandante da Companhia Especializada em Operações Policiais em Área de Caatinga (Ceopac), assassinado na noite de ontem. O velório aconteceu no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP).  Logo após, o corpo seguiu em cortejo em um caminhão do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe.

Muita emoção e revolta marcaram o velório do capitão. O irmão da vítima foi amparado por diversos amigos e colegas do PM, e voltou a reforçar que continuará pedindo justiça aos órgãos responsáveis. “Foi uma atitude covarde de bandidos que não têm compromisso com a vida, tiraram a vida de um guerreiro. Ele sabia do perigo que corria, mas mesmo assim fazia porque queria defender a sociedade”, afirma Wellington Oliveira.

Amigo e companheiro de farda, sargento Carlos, oficial do CFAP conta que participou de cursos e treinamentos com o capitão. Segundo ele, a morte do comandante traz reflexões para toda sociedade sergipana. “Quando morre um policial, morre alguém que protegia a sociedade. Isso fere o estado democrático de direito”, acredita.

O Sargento acredita que as homenagens ao capitão são merecidas, porém, pede que o caso seja solucionado de forma urgente. “Não pode ficar por isso mesmo. As homenagens são bonitas, são bem vindas, mas não pode virar estatística, a resposta tem que ser dada. A sociedade não pode se sentir aprisionada e nós não vamos nos sentir caçados”, afirma.

Homenagens em outros estados

O capitão também foi homenageado por policiais de outros estados do Nordeste. Equipes da Ceopac do estado do Ceará gravaram um vídeo onde prestam menções honrosas ao capitão Oliveira, idealizador da Companhia Especializada em Operações Policiais em Área de Caatinga. “Hoje o sertão chora e a cauã canta, mas sabendo que sua carreira permanece. Foi promovido de capitão a arcanjo combatendo no céu”, relata um dos policiais no vídeo.

Sepultamento

Por volta das 5h da manhã da sexta-feira, 6, o corpo do capitão Oliveira partirá em marcha fúnebre para o município de Porto da Folha, com previsão de chegada às 8h. Na cidade haverá uma missa em sua homenagem e, na sequência, seu corpo será sepultado no cemitério local.

Entenda

O capitão Manoel Alves de Oliveira Santos teve o carro emparelhado por três veículos e foi alvejado por vários tiros próximo do povoado Vaca Serrada, em Porto da Folha. De acordo com o irmão da vítima, o militar já vinha sofrendo ameaças. Segundo a PM, Manoel Oliveira era um profissional experiente e fundou, há 10 anos, a Companhia de Caatinga. Ele tinha 42 anos e deixou três filhos.

Por: Portal Infonet