Operação Xeque-Mate: polícia desarticula associação criminosa em Sergipe

O Departamento de Narcóticos (Denarc) detalhou, na manhã desta terça-feira (29), um conjunto de operações, iniciado em 2017, nomeada como Xeque-Mate e responsável por desarticular uma associação criminosa com envolvimento no tráfico de drogas, com apreensão de 165kg de entorpecentes e nove prisões.

As primeiras operações aconteceram ainda em 2017. Nos dias 24 e 25 de setembro a polícia deflagrou a Operação Gamberi, responsável pela apreensão de 100kg de maconha e na apreensão de uma arma de fogo, no povoado Rua de Palha, em Santa Luzia do Itanhy, região Centro Sul de Sergipe. Na operação foram presos Celso Bernadino Rodrigues e Leonel Bertoldo dos Santos, o transportador e o distribuidor de droga, respectivamente.

A Operação Quarteto aconteceu no dia 19 de outubro,  envolvendo equipes de quatro estados e resultou na apreensão de 55kg de maconha e uma arma de fogo. Na ação, houve um confronto entre policiais e criminosos e Flávio Nunes da Costa foi morto.

Nos primeiros dias de fevereiro, mais uma operação foi deflagrada, apreendendo 10kg de maconha e três armas de fogo. Alessandro Magno da Silva foi preso. No dia 15 de maio, após mandado de prisão, Gabriel Henrique da Silva, conhecido como Suel, e Luan Oliveira Rocha, vulgo Japa, foram detidos.

Dois dias após o fato, com o auxílio da população, por meio do Disque Denúncia 181, a polícia encontrou a arma utilizada no homicídio que vitimou Luan Anderson da Silva Sales, a arma estava no quintal da família de um dos criminosos. O corpo do adolescente foi encontrado em um mangue, em um local de difícil acesso, escondido dentro de uma carcaça de uma geladeira. Logo em seguida, no dia 18, o autor do homicídio foi preso, identificado como Isaque Magno Oliveira Matos, conhecido como Obama.

Além dele, Vinícius Santos da Silva, vulgo Overa, Laio Herico Campos dos Santos, vulgo Leão do Leste; e Rodrigo dos Anjos Guimarães foram presos por participação na associação criminosa. "São indivíduos extremamente violentos que, quando aconteciam problemas entre eles, a execução era realizada", disse o delegado André Baronto.

Durante as investigações foram identificadas várias práticas criminosas como homicídios, roubo de veículos, além de tráfico de drogas.

Todo o material apreendido durante as ações policiais e operações será  encaminhado para os departamentos responsáveis pelas investigações dos outros crimes.

De acordo com o delegado, a participação da população através do Disque Denúncia 181 foi fundamental para que se chegasse aos criminosos. “Foram fundamentais para que encontrássemos as armas, os corpo e os criminosos. Inicialmente não conseguíamos encontrá-los porque eles sempre se deslocavam e essa participação gerou esse resultado positivo”, disse.

Segundo informações policiais, as investigações continuarão porque existem mais envolvidos na associação criminosa. O grupo está envolvido em outros crimes, a polícia mantém sigilo para não atrapalhar as investigações.

Por: F5 News 
Foto: SSP