Os motivos que levam Jackson Barreto a não abrir mão de Eliane para vice

Jackson Barreto (MDB) deixou o governo com cerca de 70% de rejeição.

Mesmo assim, ninguém duvide: é pré-candidato forte a ganhar a eleição para o Senado.

O que lhe sobra de bom parlamentar falta muito como gestor.

Jamais devia ter sido prefeito de Aracaju e governador do Estado.

Na montagem do governo Belivaldo Chagas (PSD), deixa sua marca ao indicar Hamilton Maciel para comandar a Secretaria de Saúde. E comandar com força, autonomia.

O Dr Hamilton assumirá o cargo de secretário no próximo dia 7 de junho.

Rogério, o indesejado

Na montagem da chapa majoritária, não foi difícil uniformizar a sua com a posição de Belivaldo e do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), tidos como maiores líderes do grupo, em torno do nome de Eliane Aquino (PT) como futura candidatura a vice-governadora.

Além do mérito pessoal de Eliane, JB não abre mão de sua indicação por dois motivos: é viúva de Marcelo Déda e, sendo do PT, levará partidos governistas a não aceitar dois nomes de uma mesma legenda (o outro é Rogério Carvalho, para o Senado) na chapa majoritária.

O PDT já saiu com nota e o deputado federal Fábio Mitidieri, do mesmo PSD de Belivaldo, manifestou discordância.

Isso, sem contar com a oposição ao nome de Rogério do deputado federal Fábio Reis (MDB), já tratado pelo petista, em entrevista a Gilmar Carvalho, na MIX FM, como "porta-voz de Jackson".

Na política é assim: não se faz nada à toa.

Por: NE Noticias