Prefeita Gerana Costa vai depor na Câmara de Riachão do Dantas no dia 18

Na manhã da próxima segunda-feira (18), a Prefeita Gerana Costa (AVANTE) e suas testemunhas irão depor na Câmara Municipal de Riachão do Dantas. As duas ações fazem parte das últimas etapas do processo de impeachment, que poderá destituí-la do cargo máximo da política municipal.

Segundo Eduardo Souza, procurador da Câmara de Riachão do Dantas, todas as testemunhas arroladas no processo foram notificadas via cartas, devido a distância em que se encontravam algumas delas. “Ao todo serão oito pessoas, fora a prefeita, mas estamos aguardando a respostas dessas cartas para saber quantas testemunhas serão ouvidas exatamente”, acrescentou Souza.

Como estabelece o regimento da Câmara riachãoense, após o colhimento dos depoimentos das testemunhas e da prefeita, será marcado o julgamento da mesma. Na ocasião, se dois terços dos vereadores decidirem que a prefeita é culpada em pelo menos uma das três denúncias, ela será destituída do cargo, que será assumido pelo seu vice, Luciano Góes.

Caso o impeachment obtenha êxito, o vice-prefeito, Luciano Goes, assume o comando da prefeitura. 

Prefeita tenta barrar o processo na Justiça

A Prefeita Gerana Costa, há poucos dias da realização da Cavalgada de Riachão do Dantas, ingressou com um processo na Justiça Sergipana pedindo a suspensão do processo de impeachment aberto pela Câmara. Em sua argumentação, Costa alega que o processo tinha que ser aberto se dois terços do parlamento assim decidisse.

Prefeita alega irregularidades na abertura do processo

Mas para membros do parlamento riachãoense, o processo deverá ser arquivado. “A lei não estabelece limite algum para que o processo seja aberto, apenas diz que a maioria deve aprovar. Por isso, o juiz a mandou colher provas para analisar a expedição de um alvará. Ele não quis interferir no processo legislativo”, argumentou o relator do impeachment.

Já o procurador da Câmara de Riachão, Eduardo Souza, afirmou que o processo aberto tem tudo para ser arquivado. “O caso ainda está em andamento. Enquanto isso, o processo corre normalmente e acreditamos que a liminar será indeferida, tendo em vista que todo o procedimento respeitou a lei”, frisou Souza.

Fonte. Portal Lagarto Noticias