Torcedor vai ver a Copa em casa e gastar mais com comida e bebida

Mais do que camisa da seleção brasileira ou decoração verde-amarela, brasileiro gosta mesmo é de comer e, acima de tudo, beber durante as partidas da Copa do Mundo. Melhor ainda se a festa rolar em casa ou na casa de amigos, onde dá pra gastar menos.

Assim vai ser o Mundial da nutricionista Gabriela Donha Veron, de 34 anos. Ela já adiantou a compra de enfeites para decorar a casa de uma amiga para o próximo domingo (16), onde cinco famílias assistirão à estreia da seleção brasileira na Rússia. Mas o carro-chefe mesmo serão as bebidas, que representam o maior gasto e ainda serão compradas no final de semana.

— Não tem como economizar, porque o pessoal vai mesmo é pra beber. Os preços no mercado subiram, mas vamos comprar bebida do mesmo jeito.

Ao menos 60 milhões de brasileiros terão despesas extras por causa da Copa do Mundo, segundo pesquisa do SPC Brasil e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas. A estimativa é que R$ 20,3 bilhões sejam injetados na economia nos próximos 30 dias, considerando gastos com alimentos, bebidas, bares, restaurantes, eletroeletrônicos, roupas, acessórios, serviços de TV e internet e os bolões.

Realizado em todas as capitais do país, o levantamento também mostra que o lugar preferido dos torcedores para assistir aos jogos é a própria casa (81%), seguida da casa de amigos e parentes (44%) e bares e restaurantes (22%). Para se ter uma ideia, pesquisa semelhante feita em 2014 (apenas nas cidades-sede da Copa) colocava a própria casa como preferência de 58% dos entrevistados.

Como mais pessoas preferem agora a Copa caseira, quem mais se beneficia são os supermercados, que irão concentrar os gastos dos torcedores, explica Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil.

De acordo com a pesquisa, os supermercados são o local preferido de compras para 68% dos torcedores. Em seguida aparecem lojas de rua e de bairro (35%), camelódromos (28%), shopping popular (27%) e shopping center (25%).

— Quando estamos em momento de abundância, a Copa acaba movimentando também os eletroeletrônicos, pela compra de aparelhos de televisão. Mas esse ano a economia ainda está muito fraca, então as compras serão de petisco, cerveja e refrigerante, que é o que as pessoas têm dinheiro para fazer.

Por: R7