Vigilância Epidemiológica de Sergipe alerta para infecções respiratórias

As infecções respiratórias agudas (IRA) são caracterizadas por processos infamatórios infecciosos ou não, acometendo o trato respiratório superior e inferior. Elas chegam com frequência no final do outono, durante o inverno e no início da primavera. Estima-se que 90% das infecções respiratórias ( IRA) têm como causa agentes virais, informou a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, da Secretaria de Estado da Saúde, Mércia Feitosa.

Segundo ela, há diversos agentes virais causadores de infecções respiratórias mas, o vírus sincicial respiratório (VSR) é o agente mais frequente e atinge lactantes e crianças. “Estamos no período de início de maior transmissão dos vírus respiratório, essa doença ocorre durante todo o ano, mas aumenta com a chegada das chuvas e diminuição da temperatura” disse Mércia.

Ela alertou que crianças com doença cardíaca congênita, asma, fibrose cística, imunidade comprometida ou que nasceram prematuramente, além de bebês com menos de três meses de idade que são as mais vulneráveis para a doença. Mércia ressaltou que adultos e crianças mais velhos também são infectados pelo vírus sincicial respiratório e que os idosos podem desenvolver uma pneumonia. Ela observou, ainda, que o tabagismo passivo é também responsável pela grande maioria dos casos.

“Com o advento da Influenza é de grande importância fazer a vacinação, que é o meio de prevenção mais eficaz, entendendo que os vírus respiratórios são transmitidos de pessoas para pessoas. “”E ter conhecimento que outros vírus respiratórios circulam e temos que ter os cuidados pessoais, trazemos esse alerta para as pessoas, para o conhecimento sobre os diversos vírus que circulam pela população”.

Contagio

A especialista Mércia Feitosa alertou que o contágio das infecções respiratórias se dá pelo contato direto com a secreção eliminadas pela pessoa infectada quando tosse, espirra ou fala. Disse, ainda, que a contaminação também se dá de forma indireta, pelo contato com superfícies e objetos expostos a bactérias. Os sintomas Incluem corrimento nasal, febre, tosse e sibilos (ruído no peito). Uma infecção grave pode causar dificuldade para respirar. Nos adultos e crianças maiores com boas condições de saúde, os sintomas são semelhantes aos de resfriados comuns como: secreção nasal, espirros, tosse seca, febre baixa, dor de cabeça e dor de garganta.

Por: Lagarto como eu vejo