Que fase! Confiança é goleado no Recife e chega a 10 jogos sem vencer na Série C

Mesmo com a mudança de treinador o Confiança continuou sem vitórias no Campeonato Brasileiro da Série C. O Santa Cruz derrotou o Dragão por 4 a 0 e chegou aos 24 pontos e volta para o G-4, pelo menos momentaneamente. Vai precisar acompanhar agora as partidas de ABC (contra o Remo), neste sábado e Botafogo-PB (contra o Atlético-AC), no domingo. O Confiança segue estacionado com 19 pontos na sétima colocação e vê a classificação para a próxima fase cada vez mais distante.

Na tarde deste sábado o time azulino chegou a dez partidas sem vencer na competição. Isso já aconteceu outras duas vezes. A primeira vez foi no período de 1994 a 1996, a segunda no ano 2000. Na primeira partida do Confiança em outubro de 1994, vitória em casa sobre o CSA por 2 a 0. Coube a um rival iniciar a sequência azulina sem vencer. O Dragão perdeu fora de casa para o Itabaiana por 1 a 0. Depois os proletários empataram quatro seguidas com Maruinense (casa), Batalhense-AL (casa e fora) e Catuense-BA (fora). E em casa o Confiança perdeu para o time de Catu, 2 a 1, em 26 de setembro de 1996. Mas foi contra outro baiano que os proletários voltaram a vencer na Série C, já no dia 31 de agosto de 1997. O Dragão do Bairro Industrial derrotou o Galícia fora por 3 a 1 e encerrou o jejum.

Em 2000, primeiro é interessante lembrar que a Copa João Havelange em si foi apenas uma, não havia divisões, mas sim módulos, tanto que o São Caetano foi vice-capeão do módulo dele e também do Brasileiro. Não era uma terceira divisão como é atualmente, naquele ano não houve acesso nem descenso. Prova disso é que o Sergipe foi pior que o Confiança e no ano seguinte estava na "Série B".

Apesar de essa sequência ser bem mais curta, cronologicamente, o Dragão também ficou dez jogos sem vencer. Confiança dois, Camaçari um, no dia 29 de agosto o clube sergipano vencia em casa, mas logo em seguida passaria por uma fase complicada. Perdeu para o Corinthians-AL no Batistão, depois para o Camaçari fora. Contra o ASA, o placar não saiu do zero. Em Juazeiro, na Bahia, os proletários perderam por 2 a 0. No Clássico Maior, tudo igual, 1 a 1. Empate também na Paraíba, quando enfrentou o Campinense 2 a 2.

Daí em diante o Confiança amargou três derrotas seguidas para Moto Club-MA (fora), Flamengo-PI (casa) e Operário-MS (casa). Depois, no Mato Grosso do Sul, os azulinos empataram em 1 a 1. E a fase ruim acabou no dia 15 de outubro, em um jogo cheio de gols. O Dragão derrotou o Flamengo no Piauí por 5 a 3, com destaque para Gilson Maratá que marcou quatro vezes, o outro gol foi de Alex.

Primeiro tempo

O Santa Cruz entrou em campo e de cara foi mostrando seu objetivo. Ter o controle do jogo para fazer valer o mando de campo. E logo aos cinco minutos, o meia Arthur Rezende apareceu para fazer a festa no Arruda. Com a vantagem, os tricolores passaram a fazer um jogo de mais segurança, enquanto o Confiança se mandou ao ataque, dando um certo trabalho ao goleiro Ricardo Ernesto, mas Pipico foi o responsável por tranquilizar a vida do Tricolor. Aos 29, ele aproveitou cruzamento de Mailton e mandou de cabeça para o fundo das redes.

Segundo tempo

A segunda etapa foi bem morna. Com a vantagem no placar, o Santa Cruz não forçou muito para ampliar o marcador e o Confiança, apesar de precisar do resultado, só conseguiu chegar perto do gol uma vez, mas esbarrou em uma grande defesa de Ricardo Erneesto. Na reta final, a equipe sergipana se lançou ao ataque e num contra-ataque, Jaílson fez o terceiro para o Tricolor. E quem disse que acabou. No finalzinho, Pipico sofreu um pênalti e converteu para fechar o placar em 4 a 0 e levar o Arruda ao delírio.

Fonte: Globo Esporte / SE