Deotap desarticula quadrilha envolvendo médicos e advogados em Sergipe

O Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária e Administração Pública da Polícia Civil (Deotap) deflagrou no início da manhã desta terça-feira, 28, a Operação Panaceia. O objetivo dos investigadores é desarticular um esquema montado por uma associação criminosa para ludibriar pessoas que aguardavam procedimentos médicos junto ao Sistema Único de Saúde (SUS).

A denúncia foi feita pela própria Secretaria de Estado da Saúde (SES). Uma mulher era responsável por cooptar pessoas que aguardavam junto ao SUS procedimentos cirúrgicos.

Em um possível conluio envolvendo médicos e advogados em Sergipe, ela prometia entrar com um processo judicial que garantiria imediatamente a realização das cirurgias na rede privada. Conceição cobrava geralmente uma quantia de R$ 200 para intermediar a negociação com os médicos e advogados.

Muitas vezes, segundo os investigadores, a cirurgia já estava garantida pelo SUS. O investigadores da Polícia Civil cumpriram o mandado de prisão contra Maria Conceição e outros nove mandados de busca e apreensão.

Diversos processos judiciais tinham os mesmos advogados como representantes e a investigação mostra que estes mantinham relação com Maria Conceição. O Deotap identificou ainda nas demandas judiciais repetições de dados e fatos envolvendo pedidos de liminares. Ainda, o Deotap observou que nas intervenções de cirurgias e exames havia valores exorbitantes, bem acima dos praticados no mercado.

Mais detalhes serão divulgados durante o dia pela delegada Thaís Lemos, diretora do Deotap.

Operação

Panaceia é um substantivo feminino que significa um remédio ao qual é atribuído a capacidade de curar qualquer tipo de doença.

Panaceia é uma palavra com origem no grego panákeia, sendo que pan significa “todo” e ákos significa “remédio”. Desta forma, a palavra indica uma substância que cura todas as doenças. Na mitologia grega, Panaceia era a deusa da cura, irmã de Hígia, deusa da saúde e higiene.

Fonte: SSP-SE