Aprovados cobram celeridade em concurso da guarda prisional em Sergipe

Aprovados na primeira etapa do concurso de agentes prisionais em Sergipe cobram transparência no cronograma de convocação. A prova para aumentar o efetivo no sistema prisional sergipano foi realizada no dia 9 de julho deste ano com 22.399 mil inscritos. Eles reclamam que o cronograma de convocação para as próximas etapas do Edital tem sido alterado constantemente e sem justificativas.

O grupo fez uma manifestação neste final de semana no Parque Augusto Franco (Sementeira) exigindo transparência e celeridade nas etapas do concurso que abriu 100 vagas para agentes penitenciários, realizado pelo Instituto Brasileiro de Apoio e Desenvolvimento Executivo (Ibade).

Segundo os aprovados, o Teste de Aptidão Física (TAF) que estava previsto para acontecer em outubro foi alterado para o mês de novembro e, novamente, para janeiro do próximo ano.

“A gente fez a prova objetiva em julho e os exames de candidatos com deficiência aconteceram entre os meses de agosto e setembro. Pra ter uma ideia, teve candidato que foi fazer exame no dia marcado e não havia médico para realizar”, afirma Jéssica Resende, que foi selecionada na primeira fase do concurso.

Outra reclamação é a morosidade na realização das próximas etapas. Os exames psicotécnico e toxicológico só devem ser realizados nos dias 18 e 19 de novembro deste ano, respectivamente. Já a última fase – quando será feita a convocação para a aferição e perícia dos candidatos que se declararam afrodescendentes e portadores de deficiência – está marcada para abril do próximo ano.

“Se para analisar 152 pessoas demorou, imagine quanto durará para analisar todos os candidatos. Enquanto isso, o sistema prisional está precisando com urgência dos novos efetivos. São cinco para dar conta de 250 presos, o sindicato afirmou que a necessidade é de 400 guardas. Quando a gente pergunta para a banca eles só falam que em momento oportuno irão publicar”, reclama a concorrente.

Os candidatos afirmam que protocolaram um ofício formalizando pedido de celeridade às Secretaria de Justiça (Sejuc) e de Planejamento (Seplag) e à Escola de Gestão Penitenciária (Egesp).

F5 News procurou a assessoria da Seplag e a pasta afirmou que houve atraso na etapa da triagem dos candidatos deficientes físicos devido ao número grande de inscritos, ao todo 150, que se submeteram a perícia médica.

A assessoria diz ainda que a escola preparatória que faz o treinamento e capacitação dos candidatos só tem disponibilidade no próximo ano, não havendo necessidade de antecipar as datas, o que não compromete a realização das etapas do concurso.

Fonte: F5 News