Fora da Lava Jato, Moro não julgará Lula e será substituído por colega que mandou prender Dirceu

O juiz federal Sérgio Moro não vai julgar o ex-presidente Lula, que é réu em dois processos na Lava Jato, operação coordenada pelo magistrado no primeiro grau. Moro aceitou o convite de Jair Bolsonaro (PSL), presidente eleito, e vai comandar o Ministério da Justiça.

Em nota divulgada na manhã desta quinta-feira (1º) após encontro com Bolsonaro, Sérgio Moro confirma seu afastamento da Lava Jato.

Seu posto será ocupado, segundo o site da revista Veja, pela juíza Gabriela Hardt, da 13ª Vara Federal de Curitiba. A magistrada ficou conhecida por, em uma das vezes que substituiu Moro, ter mandado prender o ex-ministro José Dirceu. O petista foi solto em seguida após conseguir habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF).

Confira a nota de Moro divulgada após reunião com Bolsonaro:

"Fui convidado pelo Sr. Presidente eleito para ser nomeado Ministro da Justica e da Seguranca Publica na proxima gestao. Apos reuniao pessoal na qual foram discutidas politicas para a pasta, aceitei o honrado convite. Fiz com certo pesar pois terei que abandonar 22 anos de magistratura. No entanto, a pespectiva de implementar uma forte agenda anticorrupcao e anticrime organizado, com respeito a Constituicao, a lei e aos direitos, levaram-me a tomar esta decisao. Na pratica, significa consolidar os avancos contra o crime e a corrupcao dos ultimos anos e afastar riscos de retrocessos por um bem maior. A Operacao Lava Jato seguira em Curitiba com os valorosos juizes locais. De todo modo, para evitar controversias desnecessarias, devo desde logo afastar-me de novas audiencias. Na proxima semana, concederei entrevista coletiva com maiores detalhes".

Fonte: Agência Brasil