Motorista de Uber, um jovem e uma mulher são enganados por homem com transtornos mentais e vão parar em Rio Real (BA)

Na última quinta-feira, por volta das 11h20, três pessoas solicitaram  apoio da Polícia Militar  para a solução de uma  confusão digna de enredo de filmes. Segundo uma das vítimas era motorista do aplicativo Uber e foi solicitado por um cidadão, que estava em companhia de um jovem, com promessa de emprego, para fazer uma corrida da cidade de Camaçari até o município de Araçás, afirmando que iria descarregar um caminhão. Assim foi acertado o valor onde iniciou-se a viagem.

Durante o percurso, o autor solicitou que o motorista parasse na cidade de Dias D'avila, onde abordou uma mulher, que estava num ponto de ônibus, a convidando para seguir viagem até seu destino, pois iria cobrar um valor pequeno em relação ao que iria pagar ao ônibus. A mulher iria a um casamento em Irará e concordou em embarcar no veículo.

Chegando em Araçás, o motorista solicitou o valor acertado pela corrida até o local, mas o autor solicitou que prosseguisse com  a viagem que ele pagaria mais adiante,  além de embarcar também um outro cidadão que não foi identificado, que desembarcou no povoado Loreto na BR 101.

Foi nesse momento que o solicitante percebeu que havia algo estranho e mais uma vez cobrou o valor da corrida o informando que o valor da corrida tinha dado um valor de R$ 500,00. O contratante  informou que não tinha dinheiro naquele momento e esqueceu o dinheiro no escritório, quando retornasse para Camaçari pagaria as corridas. Insatisfeito, se sentindo lesado, o motorista pediu ajuda na sede da 6ªCIPM. Nesse momento também o jovem percebeu que a oferta de emprego não existiu e que foi enganado também. A mulher que iria pra o casamento em Irará foi pra um local bem distante.

O coordenador de área, Tenente Alexandre, com o objetivo  de encontrar uma solução para o caso procurou ouvi-los e percebeu que o cidadão que contratou o Uber se contradizia, inventando histórias infundadas. Sendo assim, auxiliado pelo central plantonista, Subtenente Júlio Cesar, e o Soldado Moncorvo conseguiu contato telefônico com a família do homem, onde informaram que ele sofre de transtornos mentais e é  paciente do CAPS.

Foi passada a situação para os familiares, do prejuízo causado ao motorista do Uber, onde foi feita as tratativas e logo o pagamento. Como se tratava de uma pessoa sem discernimento, a família veio buscá-lo em Rio Real. O motorista do Uber levou de volta deixando a mulher no casamento e o jovem em Camaçari.

FONTE: _Ascom 6ªCIPM