Sergipe tem o maior índice de inclusão financeira do Nordeste

Levantamento do Banco Central (BC) revela que Sergipe possui o maior Índice de Cidadania Financeira (ICF) da região Nordeste. O ICF avalia o grau de relacionamento da população com o sistema bancário e financeiro e esse destaque obtido por Sergipe na pesquisa do BC, segundo o economista e professor Ricardo Lacerda, deve-se principalmente ao fato de o estado ser o único do Nordeste que conta com um banco estadual, o Banco do Estado de Sergipe (Banese).

Professor da Universidade Federal de Sergipe (UFS), e autor de diversos estudos sobre a economia nordestina e sergipana, Lacerda observa que a presença do Banese em todos os municípios sergipanos, através de suas agências, postos de serviço e correspondentes bancários (Pontos Banese), permite à população ter acesso não apenas a uma conta bancária, mas também a cartões de crédito e operações de crédito, entre outros serviços prestados pelos bancos.

Na avaliação do economista, existem ainda outros dois fatores que contribuíram para o resultado obtido por Sergipe na pesquisa do BC: o grau de urbanização do estado e a sua situação econômica relativamente melhor em relação aos outros, por contar com a extração de petróleo e de outros recursos minerais, o que faz com que tenha um PIB per capita diferenciado dentro da região. “No entanto, o fato de Sergipe ter um banco estadual, que tem grande capilaridade e está presente em todo o território do estado, fez toda a diferença nessa pesquisa”, ressaltou.

A pesquisa

De acordo com a pesquisa do Banco Central, o Índice de Cidadania Financeira (ICF) no Brasil registrou, nos últimos três anos, uma média nacional de 41,5, em escala que vai de 0 a 100, e Sergipe, com o índice de 36,7, obteve a melhor avaliação entre os estados do Nordeste, seguido por Rio Grande do Norte (33,3), Paraíba (31,5), Pernambuco (31,4), Ceará (29,3), Bahia (29,1), Alagoas (25,2), Piauí (21,3) e Maranhão (14,4).

Segundo o BC, o ICF busca mensurar os avanços da educação e da inclusão financeira no Brasil, considerando aspectos como a quantidade de pontos de atendimento financeiro, dados de crédito e de endividamento, valores das taxas de juros cobradas em operações de crédito com recursos livres para pessoas físicas e até mesmo o percentual da população com acesso à internet.

Para o professor Ricardo Lacerda, o ICF é muito significativo para avaliar a possibilidade de acesso da população aos serviços bancários. “O Banco Central percebeu que o acesso ao serviço bancário é também uma questão de cidadania e tem trabalhado com esse conceito de cidadania financeira, que é a possibilidade de acesso das pessoas às facilidades possíveis de uma conta bancária, um cartão de crédito, um seguro de automóvel ou seguro de vida, entre outras coisas, e sem falar da importância da presença do banco na comunidade em termos de circulação de dinheiro no comércio, nas atividades econômicas em geral, promovendo a liquidez monetária nas cidades, nos povoados, nas localidades, o que é fundamental para o desenvolvimento econômico e social”, disse o professor.

O Banese

O Banese é o banco de maior presença no estado de Sergipe, contando com uma rede de atendimento composta por 63 agências, 15 postos de serviços, 225 correspondentes bancários e mais de 500 caixas eletrônicos, além dos canais digitais, que possibilitam maior comodidade e praticidade aos clientes. O banco, segundo o presidente da instituição, Fernando Mota, busca fornecer aos seus clientes atendimento de qualidade, seja ele presencial ou digital. 

“Promover o desenvolvimento socioeconômico de Sergipe é um dos principais objetivos do Banese, que procura ser um banco competitivo, sólido e sustentável, reconhecido pelo atendimento diferenciado, produtos e serviços inovadores e que busca a excelência na geração de valor para os seus clientes e acionistas”, afirma Fernando Mota.

Para dar uma ideia da importância do Banese para o desenvolvimento de Sergipe, Mota informou que de janeiro a setembro de 2018 o banco realizou 90,8 milhões de transações, movimentando R$ 34,9 bilhões no estado. Nesse período, concedeu mais de R$ 491 milhões em crédito para o consumo das famílias e mais de R$ 111 milhões para custeio e investimentos de empresas com sede em Sergipe. “Além disso, o Banese lidera o mercado de crédito comercial, depósitos à vista e depósitos a prazo em Sergipe”, disse ainda Fernando Mota, acrescentando que o Governo do Estado, acionista majoritário do banco, tem dado todo o apoio para que a instituição se fortaleça cada vez mais.

Fonte: Agência Sergipe Noticias