Às escuras: iluminação pública de Tomar do Geru é cortada

Boa parte da população do município de Tomar do Geru está sem luz nos postes das ruas e avenidas. Estima-se que metade da iluminação pública está suspensa por falta de pagamento. Até agora, não há previsão para o religamento da energia elétrica.

O prefeito da cidade, Pedrinho Balbino, disse que há um débito judicializado com a Sulgipe, empresa responsável pelo fornecimento de energia do município, que compreende os anos de 2013 e 2016. “Nós já negociamos com a Sulgipe num outro momento, mas não conseguimos quitar algumas parcelas do acordo”, destaca. Segundo o prefeito, a causa para o corte de energia se deve ao fato do município não conseguir arrecadar por meio da Contribuição de Iluminação Pública (CIP) recursos suficientes para o pagamento da conta de energia.

“Nós arrecadamos com a CIP entre 30% e 60% do valor necessário, o restante vem de recursos próprios da prefeitura”, destaca. Pedrinho pontua que essa situação poderia ter sido evitada se a Câmera de Vereadores do município tivesse aprovado um Projeto de Lei encaminhado em 2017 propondo um aumento no valor do CIP. “O que nós queríamos era aumentar esse tributo para conseguirmos fechar as contas de energia”, lamenta.

O prefeito informa que já se reuniu com presidente da Sulgipe, Eduardo Leite, para buscar um saída, mas não chegaram a um acordo. “Estamos com 15 meses em atraso. A Sulgipe propôs que pagássemos a metade; eu disse que não tinha como pagar nem um mês”, avalia.  A partir dessa negativa, Pedrinho diz que a última saída será a Câmara de Vereadores reavaliar o possível aumento da CIP para que a prefeitura possa reorganizar as contas. “Já enviamos à Câmara em caráter de urgência a proposta de elevar a CIP. Essa é a nossa última esperança”, afirma.

Fonte: Portal Infonet
Foto: Ilustrativa