.

Governo distribuirá cerca de 100 mil preservativos em Sergipe durante o carnaval

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) estima que, durante o carnaval, aproximadamente 100 mil camisinhas devem ser distribuídas com os foliões em Sergipe. A ação ocorrerá por meio da Gerência do Programa de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST/Aids), que, também, organiza outras iniciativas para o período momesco. O objetivo é estimular à população que tem vida sexual ativa a se prevenir contra as infecções, hepatites virais e a sífilis.

Nos dias de folia que a campanha do Carnaval tem seu ápice, quando acontecerá a distribuição de folder, porta camisinhas e abadás, ações que ganharão um reforço de peso: o novo Camisildo, um veículo Van mais funcional que o antigo, muito conhecido pela população. “Criamos um novo veículo, que continua com o nome Camisildo, mas é bem diferente do veículo pioneiro. Neste, as pessoas poderão entrar e observar o conteúdo de campanha, que são cartazes e material de exposição. Também poderão tirar dúvidas”, explicou o gerente do programa IST/Aids, Almir Santana.

Neste carnaval, o Camisildo estará circulando entre os municípios que têm blocos de rua e solicitaram a sua presença, a exemplo de Itaporanga, mais precisamente na praia de Caueira, Pirambu e Neópolis, no bloco Zé Pereira.

No período carnavalesco, os testes rápidos para detecção das infecções sexualmente transmissíveis, Aids, sífilis e hepatites virais vão acontecer nos dias 20 e 21, no mirante da 13 de julho, em ação realizada pela Caixa de Assistência dos Advogados de Sergipe (Caase), instituição da Ordem dos Advogados do Brasil no Estado.

Preocupado com as mudanças de comportamento que acontecem nas pessoas durante o carnaval, Almir Santana alerta para a necessidade dos foliões pensarem também na preservação da saúde. “Andar sempre com camisinha, mesmo que a pessoa ache que não vai se relacionar sexualmente com alguém, ela deve levar o preservativo”, aconselhou.

Almir Santana também orienta aos municípios que fazem o carnaval para que incluam a camisinha nas festas, disponibilizando o preservativo em pontos estratégicos da folia para que ninguém deixe de se prevenir contra as infecções sexualmente transmissíveis.

Fonte: ASN