.

Mulher que fingiu ter câncer de mama é indiciada por estelionato

Aline Silva de Carvalho, de 32 anos, presa em abril do ano passado por fingir ter câncer de mama e promover campanhas de arrecadação de dinheiro para financiar o falso tratamento foi indiciada pelo crime de estelionato (Art. 171 do Código Penal) e por falsidade ideológica (Art. 298 do Código Penal). De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP),  o delegado Fernando de Melo da 8ª Delegacia Metropolitana (DM), responsável pelo caso, concluiu o inquérito policial e remeteu o caso à justiça.

Ainda segundo a SSP, a Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE), unidade de saúde onde a suspeita realizou cinco sessões de quimioterapia, recebeu a denuncia sobre o falso diagnóstico da doença e acionou a polícia. Durante a investigação, foi verificado que os laudos dos exames apresentados pela suposta paciente divergiam dos laudos dos resultados dos laboratórios em que os exames foram feitos.

No inquérito policial consta que a suspeita confessou à polícia a fraude e informou que falsificou os exames com a ajuda de um amigo que já faleceu.  Segundo as informações da SSP, Aline inventou a doença com medo de “perder seu namorado” e, ao iniciar o tratamento quimioterápico, tendo como efeito a perda do cabelo, começou uma campanha nas redes sociais pedindo ajuda para realizar o tratamento, que segundo ela, não estava conseguindo realizar na rede pública de saúde.

Na campanha, era disponibilizado o número de uma conta poupança em nome de Aline Silva. Segundo o delegado, várias pessoas, não identificadas no inquérito, foram lesadas ao realizar depósitos nesta conta. Diante dos fatos, o delegado entendeu que havia indicativos suficientes e indiciou a Aline por estelionato (Art. 171 do CP, quando alguém, obtém, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento), e por falsificação ideológica (Art. 298 CP, que diz que falsificar, no todo ou em parte, documento particular ou alterar documento particular verdadeiro).

O inquérito foi encaminhado a 1ª Vara Criminal da Comarca de Aracaju no dia 06 deste mês. Segundo a SSP, o caso está sob a responsabilidade da justiça.

Relembre

A moradora da cidade de Estância, Aline apresentou laudos falsos apontando diagnóstico de câncer de mama e iniciou tratamento em dezembro de 2017 no Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE), além de fazer campanhas públicas de arrecadação de dinheiro para o tratamento. A polícia descobriu a farsa através de uma denúncia anônima e a suspeita foi presa em abril de 2018.

Aline confessou à polícia a fraude afirmando que teria feito uma cirurgia estética no seio para a retirada da mama direita e que mentiu alegando a doença por medo do término do relacionamento.

Fonte: Portal Infonet