.

Sefaz continua fiscalizando venda de bebidas e alimentos em Sergipe

A Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) está fiscalizando quatro empresas distribuidora de gêneros alimentícios e bebidas em Aracaju. O trabalho está em andamento e ainda não há resultados. Esta atividade é sequência das ações da Operação Concorrência Leal, realizada na semana passada pela Sefaz, com o apoio do Departamento de Crimes contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap), da Polícia Civil e da Companhia Fazendária, da Polícia Militar. Nesta quarta-feira, 27, as equipes de auditores fiscais cumpriram ordens de serviço de fiscalização nas quatro empresas com o objetivo de coibir qualquer tipo de irregularidade na prática da comercialização.

Nos estabelecimentos visitados, todos de grande porte, os fiscais iniciaram um trabalho detalhado de levantamento de dados e informações com o cruzamento do fluxo de comercialização, para averiguar se existem irregularidades. Segundo explicou o coordenador da operação, o auditor fiscal da Sefaz Alberto Mota, devido ao porte dos depósitos visitados o trabalho será minucioso e demorado, tendo em vista que o volume de mercadorias estocadas e comercializadas é muito grande. “O foco continua sendo bebidas alcoólicas fermentadas [cerveja] e refrigerantes. Porém, a operação de hoje também buscou averiguar a situação tributária de outros produtos”, afirmou.

Depósitos de grande porte são fiscalizados

O auditor comentou que os desdobramentos da operação da semana passada levam a outras situações que precisam ser checadas pela Sefaz, assim como auditorias relacionadas a outras áreas de atuação da secretaria também integram o leque de ações. “Temos trabalhado integrando as informações de resultados dos trabalhos de fiscalização e auditoria. Dessa forma, conseguimos agir de forma mais eficaz no combate à sonegação fiscal”, complementou Alberto Mota.

Irregularidades

Como afirmou o coordenador da Operação Concorrência Leal, os números finais do trabalho realizado na última quinta-feira, 21, ainda não têm como ser fechados, pois as irregularidades encontradas apontam para outras situações em que os auditores continuam contabilizando. “Aparentemente, são depósitos de pequeno e médio porte, porém, o volume de vendas que realizam se equipara a grandes empresas”, diz. “No caso desta realizada hoje, são empresas de grande porte, que possuem fornecedores semelhantes cujas práticas precisam ser investigadas com muita cautela. Por esse motivo, consideramos que a ação da semana passada não foi finalizada”, explicou.

Com informações da Ascom/Sefaz