.

Mais uma criança morre com suspeita de dengue em Sergipe

Uma notícia triste abala familiares e toda a comunidade do município de Nossa Senhora de Lourdes: mais uma criança morreu com suspeita de dengue. A Secretaria de Estado da Saúde confirmou, nesta quarta-feira (5), outro caso suspeito. A menina de 10 anos de idade faleceu na tarde de hoje no interior de Sergipe.

Em apenas sete dias, este já é o segundo caso de criança que morre com suspeita da doença. No último dia 30, outra da mesma idade, Naiara da Silva Azevedo, morreu na cidade de Itabaianinha. Se os casos forem confirmados, serão seis pessoas a perder a vida nessa circunstância só este ano no estado.

Segundo a SES, a criança, moradora da cidade de Lourdes, morreu a caminho do Hospital Regional de Propriá. A menina foi socorrida em uma ambulância e passou por procedimentos de reanimação por dois médicos do município, mas chegou à unidade sem vida. Ela já tinha sido hospitalizada na Ala Azul da unidade e teve alta algumas horas depois, mas voltou a passar mal.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, o caso vai ser investigado e amostras foram coletadas para identificar a causa da morte.

No total, já são 1.697 casos notificados e 343 deles confirmados. Até o momento quatro pessoas morreram em decorrência da dengue. 

Reunião

A Secretaria informa que o Estado está diante de um cenário preocupante no tocante ao aumento do número de casos de dengue e os índices de infestação encontram-se em alto risco para ocorrência de epidemia em 21 municípios, - "o que sinaliza a continuidade e ou um aumento no número de casos de dengue nos próximos meses". 

Na quinta-feira (6), às 15h, o Governo do Estado deve se reunir com todos os secretários da Educação e Saúde dos 75 municípios para uma reunião a fim de discutir e apresentar as estratégias de combate à dengue, como também contra o aumento de acidentes e queimaduras por conta dos festejos juninos.

"Em Sergipe, iniciou-se em junho os festejos juninos, trazendo outra preocupação no tocante à ocorrência dos acidentes automobilísticos e o aumento de hospitalizações por queimadura provenientes de fogos de artifício e ou manuseio com fogueiras, especialmente em crianças", diz a Secretaria de Saúde em material distribuído à imprensa.

"Pensando nisso, são necessárias estratégias interssetoriais para ampliação de ações voltadas para combater o Aedes aegypti, prevenção dos acidentes e a redução do número de queimados", diz ainda o texto.

Fonte: F5 News