.

Ex-gestores do Hospital Cirurgia são denunciados pelo Gaeco por não repassarem mais de R$ 3 milhões em impostos

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado de Sergipe informou, nesta terça-feira (5), que ajuizou nova denúncia contra dois ex-gestores do Hospital de Cirurgia pela retenção de R$ 3.331.690,37 em Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN), devidos ao município de Aracaju.

A investigação verificou que o crime de peculato ocorreu por 36 meses consecutivos, entre janeiro de 2015 e dezembro de 2017. A gestão de Gilberto dos Santos seria responsável por 26 deles e Milton Santana, por 10.

A ação também informa que, apesar disso, houve cobrança dos usuários do serviço de atividade médica, prestado pela instituição.

Ainda de acordo com o Gaeco, durante o período, foi identificada a aquisição, por Gilberto dos Santos, de um imóvel denominado Sítio São Francisco, localizado no Município de São Cristóvão, no valor de R$ 3.407.653,07, a preço superior ao de mercado, sem autorização do Conselho Deliberativo da Fundação de Beneficência Hospital de Cirurgia.

A assessoria de comunicação do hospital informou, em nota, que "tem se preocupado em prestar o melhor atendimento possível à sociedade sergipana, não cabendo à intervenção judicial emitir juízo de valores sobre os fatos, somente manter-se à disposição dos órgãos fiscalizadores e autoridades".

No mês passado, o Gaeco ajuizou denúncia ex-gestor do Hospital de Cirurgia, Gilberto Santos, empresários e 'laranjas' pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e organização criminosa.

As ações são fruto da Operação Metástase, que foi deflagrada em julho do ano passado e ocorreu em três fases.

Fonte: G1/SE